CFTV

Reconhecimento facial: entenda como essa tecnologia é utilizada

reconhecimento facial

Assim como os já conhecidos sistemas biométricos de identificação ou o escaneamento de íris, o reconhecimento facial também vem ganhando espaço como método de segurança para desbloquear transações, liberar o acesso a equipamentos que requerem senha ou mesmo para autorizar a entrada em determinados edifícios.

Baseado no mapeamento das características do rosto da pessoa, o método garante a segurança com um nível de detalhe muito maior do que o uso de senhas, cartões de acesso ou mesmo a própria biometria.

A tecnologia é bastante simples e, embora muitos desconheçam, já está inserida em nosso cotidiano. Uma de suas aplicações, por exemplo, pode ser conferida nas redes sociais. É assim que o Facebook identifica e marca as fotos de seus usuários.

Quer saber como funciona essa tecnologia e quais são as suas principais aplicações? Então, continue a leitura de nosso post e confira!

Como funciona o reconhecimento facial?

Embora pareça complexo, um sistema de reconhecimento facial depende basicamente de um software, que analisa em detalhes o padrão de cada rosto, por meio de uma imagem captada por uma câmera espacial para essa finalidade. As imagens podem ser em foto ou vídeo.

O software identifica várias características pessoais, como a distância entre os olhos, o formato da boca, o comprimento e a largura do nariz, a linha da mandíbula e o tamanho do crânio de cada indivíduo, entre outros detalhes. Esses dados são armazenados em forma de algorítimos pelo sistema.

Assim, cada vez que um rosto precisar ser identificado, esses registros são acionados. Mesmo que a pessoa tenha mudado o corte ou a cor do cabelo, esteja com maquiagem, barba ou usando acessórios — como brincos ou óculos —, os algoritmos conseguirão identificá-la com grande precisão. Afinal, cada indivíduo tem características peculiares.

Cada vez que a pessoa passa pelo controlador, seja no acesso ao edifício, seja para desbloquear um sistema ou transação, entre outras possibilidades, os detalhes de seu rosto serão comparados com os registros do banco de dados.

É importante explicar que essa tecnologia faz a leitura de um rosto humano, mas não reconhece fotografias ou imagens em documentos, no caso de autorização de entrada em determinados locais. No entanto, alguns desenvolvedores já criaram sistemas capazes de combinar imagens de documentos com os rostos, em tempo real.

No caso do exemplo que demos, do uso para identificação de fotos nas redes sociais, o reconhecimento facial acontece nas imagens publicadas pelos usuários. Os bancos, por sua vez, também avaliam a possibilidade de as pessoas digitalizarem suas fotos em um documento físico, como a carteira de habilitação, e depois enviarem uma imagem própria recente para comprovação de identidade.

Quais são as principais aplicações do reconhecimento facial atualmente?

Hoje, a tecnologia de reconhecimento facial está sendo aplicada nos mais diversos segmentos. Além dos usos que já citamos, como em redes sociais ou com finalidade de segurança bancária e verificação de identidade, outras aplicações estão ao alcance de nossa mãos.

Alguns smartphones, por exemplo, podem ser desbloqueados com esse recurso, o que garante ainda mais segurança para o seu proprietário. Entretanto, as aplicações vão muito além dos celulares de uso pessoal, abrangendo situações rigorosas relacionadas à segurança de dados e ao controle de acesso predial, entre outras. Confira!

Controle de acesso

A biometria facial ajuda na identificação de pessoas que entram e saem de determinados condomínios que contam com essa tecnologia. Ela é mais eficiente do que o uso de digitais ou mesmo do crachá eletrônico, estratégias que já são consideradas obsoletas, podendo ser alvos de fraude ou erro.

Essa tecnologia é utilizada especialmente para controle de entrada e saída de funcionários ou mesmo de visitantes, em condomínios comerciais e residenciais ou estacionamentos, inibindo a circulação local de pessoas não autorizadas.

Acompanhamento de ponto

Em ambientes corporativos, o reconhecimento facial é muito mais eficiente do que outras metodologias para controle de entrada, saída e duração da jornada dos profissionais, garantindo maior segurança não só para a empresa, como também para os próprios colaboradores envolvidos.

A tecnologia também permite maior controle das pessoas que têm permissão para visualizar e utilizar dados específicos e privilegiados, limitando o acesso apenas àqueles que têm autorização. Da mesma forma, a solução possibilita maior acompanhamento das atividades de risco, garantindo a saúde e segurança dos colaboradores.

Liberação de portas

Em alguns segmentos que dependem de um rígido controle de segurança, como no caso do acesso de servidores a um cofre, o reconhecimento facial é uma estratégia que permite a abertura de portas apenas para os profissionais selecionados e previamente identificados.

A verificação facial garante maior segurança do que outras tecnologias normalmente utilizadas, tais como biometria ou crachás eletrônicos. Empresas que utilizam sistemas de CFTV para monitorar almoxarifados ou filiais têm na tecnologia uma grande aliada. Para isso, no entanto, é fundamental contar com um sistema eficiente de infraestrutura de rede.

Games

Embora esse uso não seja exatamente relacionado à segurança, é interessante conhecer mais uma das aplicações possíveis da nova tecnologia. Alguns jogos utilizam o reconhecimento facial, permitindo que o jogador utilize movimentos de sua cabeça ou expressões para realizar as ações necessárias no game.

A popularização desse recurso, conhecido como head tracking, sem dúvida, ajudará a fazer com que os recursos de reconhecimento facial se tornem conhecidos pelo grande público.

Monitoramento do trânsito

As câmeras de monitoramento já permitem identificar placas do veículo. No entanto, os benefícios da tecnologia vão além: o reconhecimento facial já está sendo utilizado para avaliar dados de localização e velocidade, como forma de conferir a conduta dos motoristas no trânsito.

Em alguns estados brasileiros, quem faz a primeira habilitação, solicita sua segunda via ou renova a CNH, assim como os motoristas que pretendem mudar de categoria, devem passar pelo reconhecimento facial. Para validação do documento, a foto deve ter um índice de semelhança superior a 90%.

No caso de índices menores, quando houver dúvidas, o documento será bloqueado. A ideia é coibir fraudes. Por essa razão, a nova tecnologia conta com o apoio dos motoristas. O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) utiliza os registros do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) para a identificação de cada motorista.

Segurança policial

Esse recurso, que promete simplificar o trabalho da polícia, permite o reconhecimento facial de indivíduos suspeitos e a comparação do registro com o banco de dados de criminosos, sem que as pessoas precisem ser levadas até uma delegacia.

Como você pode perceber, a grande vantagem da tecnologia de reconhecimento facial é o aumento da segurança em todas as situações. Seja para o controle de acesso predial, seja para identificar pessoas autorizadas a realizar determinadas transações ou desbloquear sistemas, tal estratégia é muito interessante.

Apesar disso, é preciso destacar que ainda existem ressalvas ao uso da tecnologia de reconhecimento facial, relacionadas ao direito à privacidade dos usuários. Portanto, embora seja bastante útil, é fundamental saber utilizá-la com sabedoria e responsabilidade, respeitando os direitos individuais.

Gostou das informações e quer receber mais notícias sobre inovação e tecnologias disruptivas? Então, assine agora mesmo a nossa newsletter e receba nossos conteúdos diretamente em seu e-mail!

Comentários