Material elétrico

Veja como deixar seu datacenter pronto para o futuro

datacenter

Os profissionais que atuam no setor de datacenters precisam ficar atentos às novidades e tendências do setor. Afinal, ao se atualizar e investir na modernização dos serviços, é possível ganhar espaço no mercado e se destacar da concorrência.

Neste post, mostraremos algumas das tendências na área de datacenters para que você possa se preparar para o futuro e investir nessas novas tecnologias a fim de fornecer aos clientes um serviço de maior qualidade e segurança. Por isso, continue a leitura!

Internet das coisas

A internet das coisas é um conceito que descreve a recente conexão dos itens usados no nosso dia a dia com a internet. Um exemplo bastante popular de internet das coisas são os carros inteligentes, que conseguem se desviar de obstáculos e “se dirigir” por meio de informações coletadas via GPS.

Outro exemplo bastante popular é o smartwatch. O que antes era um simples relógio usado para ver as horas agora é uma poderosa ferramenta que facilita diversas atividades do dia a dia, como fazer e receber ligações, ler mensagens, controlar os sinais vitais do corpo, entre outras aplicações.

A internet das coisas também pode ser usada dentro das empresas. Quer um exemplo? É possível aproveitar essa tecnologia para verificar quais são os horários com maior fluxo de clientes dentro de uma instituição varejista, por exemplo.

Além disso, foi possível expandir esse conceito não apenas para objetos e sistemas, mas também para cidades inteiras. Em Barcelona, a coleta de lixo é feita de maneira totalmente automatizada, ao passo que em Tel Aviv, Israel, inúmeras câmeras de segurança espalhadas pela cidade garantem a segurança de moradores e turistas.

Arquitetura escalável

Você sabe o que é escalabilidade? Essa é uma característica bastante procurada em softwares e sistemas, pois ela indica que eles estão preparados para um possível crescimento do trabalho ou o aumento de sua capacidade e usabilidade.

Por exemplo, imagine que você tenha um sistema de transações on-line, e rapidamente os usuários começam a fazer mais movimentações do que o normal. Contar com um sistema escalável permitirá que esse aumento não interfira na usabilidade, evitando assim que o sistema caia ou que as pessoas tenham algum problema ao usá-lo.

É possível escalonar de maneira horizontal e vertical, sendo que cada uma dessas opções oferece vantagens diferentes para os usuários. No aumento horizontal, são adicionados novos “nós” ao sistema, como um computador ou um servidor novo, por exemplo.

Já no vertical, são adicionados ou removidos recursos de um só nó. Ainda no caso dos computadores, um exemplo seria a adição de mais memória ou RAM no equipamento para que ele conseguisse lidar com mais processos.

Redes 5G

As redes 5G ainda não chegaram oficialmente no Brasil, mas representam um grande marco para a melhoria da internet em todo o mundo. Por meio dela, será mais fácil baixar e fazer upload de arquivos na rede móvel e via cabo. Ela também vai permitir que diversas tecnologias de realidade virtual e internet das coisas cheguem mais facilmente para a população.

O 5G funciona por meio de ondas de rádio, da mesma maneira que as gerações anteriores, como o 4G e o 3G, que ainda são bastante usados no Brasil e em outros países. O que a difere dos demais é que seu espectro cobre uma área bem maior, se espalhando em 600 e 700 MHz, 26 e 28 GHz e 38 e 42 GHz.

Além disso, as antenas usadas para captar o sinal 5G ainda conseguem focalizar o sinal, e não apenas enviá-lo para todas as direções. Com isso, o sinal acaba chegando mais forte para o usuário, de modo que ele tenha acesso a uma internet mais rápida.

Estima-se que a tecnologia chegará primeiro para os smartphones, por meio dos serviços de pacote de dados das empresas de telecomunicações. Com o tempo, ela será difundida para outros eletrônicos, como smartwatches ou outros tipos de wearables e ferramentas que utilizam desse meio.

Armazenamento híbrido

Também chamado de hybrid storage, o armazenamento híbrido é um sistema que está preparado para receber hard disks e memórias SSD num único sistema. Com isso, entrega-se maior qualidade e rapidez de acesso aos arquivos guardados.

Eles contam com uma função chamada de tiering, na qual os dados são armazenados em hard disks ou SSDs de maneira inteligente, de acordo com o uso desses arquivos por parte do usuário. Assim, será dada prioridade àqueles mais importantes e úteis.

As principais vantagens do armazenamento híbrido é que, além de ser mais barato do que investir em um sistema totalmente SSD, ele tem uma eficiência melhor do que um sistema de hard disks.

Ele é formado basicamente por duas camadas: uma de disco rígido, onde ficam os arquivos menos importantes ou com pouca usabilidade, enquanto a camada de flash ou SSD conta com um alto desempenho.

Ligação entre bits e watts

Não são apenas os sistemas e softwares que precisam ser usados, mas o próprio consumo de energia também pode se tornar um fator de economia e agilidade para as empresas, a chamada Power Usage Effectiveness (PUE).

Com isso, um datacenter do futuro precisa fazer com que bits e watts trabalhem juntos, buscando usar menos energia, de maneira a não comprometer a usabilidade do banco de dados.

Assim, o único componente que terá um gasto maior de energia são os sistemas de TI, já que o uso de energia por parte das infraestruturas deve ser considerado um gasto extra que, apesar de inevitável, pode ser reduzido consideravelmente.

Essa redução do uso de energia poderá trazer alguns benefícios, como uma certa “folga” no pagamento de energia e um sistema mais focado no datacenter, bem como uma eficiência energética maior do sistema.

Assim, entendendo como deixar o seu datacenter pronto para o futuro, você poderá dar o primeiro passo, que é estudar sobre essas novas tecnologias e começar a aplicar as funcionalidades que fazem mais sentido para o seu serviço. Assim, em vez de ficar para trás da concorrência e perder espaço no mercado, seu datacenter conseguirá acompanhar a modernização do futuro.

Gostou do nosso post? Então diga nos comentários se sua empresa já usa algumas dessas tecnologias ou quais novidades você acha que serão tendência no mercado de datacenter!

Comentários