Epis

6 dicas para realizar o controle de EPI na sua empresa

controle de EPI

O controle de EPI (Equipamento de Proteção Individual) é fundamental na estratégia de qualquer empresa. Ao utilizar boas práticas e produtos de qualidade, é possível ter um local de trabalho produtivo, minimizar os impactos dos acidentes e garantir o bem-estar do funcionário.

Contudo, isso não é uma tarefa fácil. Alguns profissionais enfrentam dificuldades para encontrar fornecedores de confiança e até mesmo arcar com as consequências das indenizações trabalhistas.

Dessa forma, você deve estar preparado para atuar com os EPIs corretos, que respeitem as legislações e atendam às necessidades do seu segmento.

Pensando nisso, fizemos este artigo. Nele, entenda qual é a importância do controle de EPI e veja como realizá-lo na sua empresa!

Qual é a importância do controle de EPI?

Ter um controle de EPI vai muito além de assegurar a integridade de cada funcionário. Na verdade, é algo fundamental para respeitar a Norma Regulamentadora 6. O documento do Ministério do Trabalho define procedimentos e limites para quase todos os quesitos relacionados à saúde e ao bem-estar no seu negócio.

Nesse contexto, os principais objetivos da NR 6 são:

  • determinar as responsabilidades técnicas entre fabricantes e usuários;
  • mostrar o uso correto dos EPIs;
  • exemplificar os aspectos técnicos de cada equipamento.

A NR 6 é essencial para superar um dos principais desafios dos profissionais de segurança do trabalho: minimizar o impacto dos acidentes. Somente em 2018, foram registrados 895.770 acidentes de trabalho em nosso país. As consequências para as empresas e os profissionais envolvidos são variadas, como:

  • paralisações no segmento;
  • pagamento de indenizações e multas;
  • perda de capital humano;
  • falta de confiança no mercado;
  • desmotivação da equipe;
  • embargos (em casos mais sérios).

Independentemente do tamanho e do setor do seu negócio, é importante manter o controle de EPI em sua rotina. E é exatamente isso que você aprenderá agora.

Como fazer o controle eficiente de EPI?

Abaixo, você confere orientações para atender às legislações específicas, reduzir o turnover e, claro, e garantir a segurança de todos.

1. Teste os equipamentos

Os testes de EPIs, na maioria dos casos, são aplicados pelos fabricantes. Porém, você pode aproveitar o conceito e aplicá-lo em sua gestão.

Antes de comprar os equipamentos, pense em adquirir poucas unidades, a fim de testá-las. Nessa hora, analise detalhadamente como cada produto será utilizado no seu segmento e, se possível, peça a opinião de alguns funcionários. Verifique os tamanhos corretos e veja se os materiais podem causar alergias ou não.

2. Invista em treinamentos

Outra boa dica é treinar os funcionários constantemente sobre o uso e a importância do EPI. Aproveite esse momento para mostrar técnicas de conservação dos equipamentos, pois cada usuário pode (e deve) ser responsável por cuidar de seus EPIs.

Lembre-se da força e do papel dos canais de comunicação em sua empresa. Lembretes diários, semanais ou mensais ajudam a fixar a importância do controle de EPI, criando uma cultura interna de prevenção e de segurança.

Então, não espere por uma atualização de alguma norma ou que algum acidente aconteça e prepare o seu time agora mesmo.

3. Realize manutenções periódicas

Quando se fala em manutenção, muitos profissionais pensam em máquinas pesadas e sistemas industriais, certo?

Porém, poucos se lembram da importância da manutenção para os equipamentos de proteção individual. É preciso ter cuidados básicos de higienização, de armazenamento e de uso com EPIs que não sejam descartáveis. Além do mais, alguns produtos podem precisar de inspeções formais, realizadas pelo próprio fabricante.

Equipamentos mais simples, como capacetes, protetores auditivos, calçados e óculos, necessitam apenas de limpeza com pano úmido e papel toalha. Já uniformes e luvas, por exemplo, precisam ser lavados com sabão neutro e guardados limpos.

4. Tenha um sistema de gestão

O uso de novas tecnologias já não é novidade para muitos setores. Desde a 1ª Revolução Industrial, máquinas e sistemas automatizam tarefas, permitindo que o ser humano possa focar em questões estratégicas do negócio.

Hoje, vivemos um cenário em que a Indústria 4.0 revoluciona o dia a dia de muitos profissionais. Não acompanhar essas mudanças é o mesmo que reduzir a produtividade.

Também conhecido como ERP (Enterprise Resource Planning), um sistema de gestão deve ser um de seus principais aliados nessas horas. O software reúne informações de todos os processos em um só lugar, permitindo acessá-las a qualquer hora e momento.

O ERP, por exemplo, armazena todo o histórico de acidentes e os riscos que existem em sua gestão. A partir disso, você consegue traçar uma estratégia para reduzir incidências e melhorar a capacitação de cada funcionário.

Além do mais, o sistema de gestão também permite controlar o estoque de EPIs com facilidade. As tarefas de compra e de análise de reposição podem ser programadas com o uso de uma ferramenta adequada às suas necessidades.

5. Tenha um bom fornecedor

A dica parece simples, mas trabalhar com parceiros de confiança é o primeiro passo de um controle de EPI eficiente. Nessas horas, você não deve tomar a sua decisão baseando-se apenas no preço. Em muitos casos, a compra de equipamentos mais baratos pode resultar em dores de cabeça no futuro, como acidentes e manutenções inesperadas.

Por isso, faça uma pesquisa de mercado e encontre um fornecedor de qualidade, que tenha uma oferta que caiba no seu orçamento. Busque por empresas que façam uma venda consultiva e o ajudem a escolher os equipamentos mais adequados.

6. Escute a sua equipe

Após comprar e distribuir os EPIs, é fundamental acompanhar o que o seu time acha de cada material. Quando alguns funcionários reclamam que há problemas de aplicação de um produto, é sinal de que algo errado pode estar acontecendo.

Portanto, peça feedbacks de sua equipe constantemente e faça de tudo para encontrar e solucionar essas situações o quanto antes.

Com a leitura deste post, você ficou por dentro de 6 dicas para realizar o controle de EPI em sua empresa. Os pontos ilustrados permitem que você minimize o impacto dos acidentes e otimize os custos da gestão.

Ao comprar os seus equipamentos de segurança individuais, fique atento para ter bons parceiros e respeitar as determinações da NR 6.

Por falar em segurança, continue conosco e entenda mais sobre a relação entre produtividade e segurança no ambiente de trabalho!

Comentários