Contratos

Causas de absenteísmo no trabalho: as 5 principais nas empresas

causas de absenteÍsmo no trabalho

Em uma empresa, qualquer alteração inesperada na frequência ou no modo de exercer as atividades se torna prejudicial. Isso explica porque as diferentes causas de absenteísmo no trabalho têm se tornado uma das principais vilãs. Resolver esse problema ou amenizar seus impactos é possível, mas exige mudanças significativas.

O primeiro passo, porém, é conhecer as principais causas de absenteísmo no trabalho e entender por que elas ocorrem. Se você tem dúvidas sobre o assunto, prossiga na leitura e se informe!

O que é absenteísmo?

O termo significa estar ausente ou fora de determinado espaço. Logo, representa a falta de funcionários dentro do ambiente profissional. No Código do Trabalho, por exemplo, o absenteísmo é definido como “a ausência de trabalhador no local em que devia desempenhar a atividade durante o período normal diário”.

Quando a taxa de absenteísmo está alta, é comum que os gestores percebam um aumento da quantidade de horas perdidas, do número de atrasos e das saídas sem justificativa. Tais atitudes prejudicam o desempenho e, consequentemente, os resultados de diversas tarefas.

Veja, a seguir, os principais problemas causados por essa situação.

Baixa produtividade

Todo funcionário é importante e necessário para cumprir funções específicas. Por isso, quando um profissional deixa de se envolver com as atividades que foram delegadas, seu desempenho é reduzido e passa a impactar em outros processos. Com o tempo, a soma de diversas tarefas inacabadas ou malfeitas reduz a produtividade da empresa.

Custos elevados

Atualmente, doenças como estresse, ansiedade e depressão estão entre as principais causas de absenteísmo no trabalho. São condições que afastam as pessoas de suas funções e também exigem tratamento prolongado.

Para a empresa, isso pode significar aumento de custos de operação e mais gastos com outros recursos — plano médico e Fator Acidentário de Prevenção (FAP), por exemplo.

Alta rotatividade

O absenteísmo também costuma resultar na demissão de muitos funcionários. Essas saídas prejudicam a rotina de toda a empresa, que precisa organizar cada vez mais recrutamentos, seleções, formações e adaptações de novos profissionais. Os impactos financeiros também são consideráveis, seja por conta da falta de pessoas para cumprir as atividades ou pela necessidade de investir mais recursos em processos de contratação.

Quais são as principais causas de absenteísmo no trabalho?

Diversos fatores contribuem para o aumento das faltas de funcionários. É importante conhecê-los para saber como lidar com cada situação, sempre buscando soluções que possam beneficiar a empresa e seus trabalhadores.

A seguir, listamos as causas mais comuns de absenteísmo e formas de contorná-las.

1. Falta de motivação

A insatisfação com a empresa, a falta de propósito e até problemas pessoais podem fazer com que um funcionário se torne desmotivado. Nesses casos, ele deixa de acreditar nos trabalhos realizados e passa a desempenhar suas atividades no modo automático, sem vontade de melhorar a cada dia.

Reverter esse quadro exige uma análise sobre os motivos que levaram ao desinteresse do trabalhador. Na maioria das vezes, o problema tem origem na manutenção de um clima organizacional ruim e na falta de integração entre as equipes. Portanto, cabe aos gestores buscar formas de engajar pessoas, envolvê-las em diferentes processos e melhorar o ambiente de trabalho.

2. Problemas de saúde mental

Como dito, a ansiedade, o estresse e a depressão estão entre as principais causas de absenteísmo no trabalho. Essas doenças acometem pessoas de todas as idades e públicos envolvidos nos mais diversos cargos e áreas do conhecimento.

Embora tenham diversas origens, costumam ter seus sintomas potencializados em determinadas condições: ritmo intenso de trabalho, jornadas duplas ou triplas, pressão excessiva por parte da gestão, má relação com os colegas e falta de perspectiva de crescimento na empresa.

O estresse, por exemplo, também pode surgir quando o funcionário entra em contato com ambientes barulhentos ou precisa permanecer nesses espaços por muito tempo. Nesses casos, a adoção de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) adequados, como os protetores auditivos, é fundamental.

3. Paternidade e maternidade

Esses fatores se tornam problemas quando os funcionários encontram dificuldades para conciliar a vida pessoal e profissional. É normal que a chegada de um novo membro à família aumente as responsabilidades dos pais, gerando tarefas extras e preocupações que antes não existiam.

Acontece que muitas mães e pais precisam resolver imprevistos durante o horário do expediente. Assim, faltam ao trabalho para levar o filho ao médico ou para comparecer a uma reunião escolar, por exemplo. Uma forma de amenizar o impacto das ausências é acompanhar o funcionário de perto, a fim de entender suas necessidades e, juntos, procurar formas de resolver diferentes situações sem prejudicar nenhuma parte.

4. Imprevistos por fatores externos

A rotina das cidades grandes pode ser bastante caótica. Nessas regiões, uma simples mudança no clima ou a ocorrência de acidentes de trânsito podem gerar congestionamentos que dificultam a chegada ao local de trabalho. Muitos funcionários dependem de transporte público para se deslocar, por isso, estão sujeitos a atrasos causados por problemas urbanos.

Embora não exista uma solução adequada para esse tipo de imprevisto, é importante lidar com a situação de modo adequado, sem apontar culpados ou gerar discussões improdutivas. O gestor precisa conversar com os funcionários para entender os motivos dos atrasos e buscar formas de amenizar seus impactos.

5. Problemas de saúde física

As doenças de ordem física podem ou não ter relação com o ritmo e condição do ambiente de trabalho. Independentemente disso, é fundamental atuar de maneira preventiva para evitar o surgimento de patologias que prejudiquem o funcionário e o andamento das atividades.

Descuidar da manutenção de uma instalação elétrica, por exemplo, pode aumentar o risco de choques e acidentes mais graves. Ao mesmo tempo, um lugar repleto de substâncias tóxicas pode fazer com que os trabalhadores desenvolvam doenças respiratórias.

Em todo caso, vale investir em programas de treinamento para o cumprimento das normas de segurança vigentes, bem como adotar recursos que protejam os funcionários durante o expediente.

E você, conhece outras causas de absenteísmo no trabalho que merecem ser combatidas? Lembre-se de que a atuação conjunta é essencial para identificar as fontes de problemas rapidamente, além de permitir que as soluções adotadas beneficiem todos os agentes envolvidos.

Se gostou deste artigo, assine a nossa newsletter e acompanhe as próximas publicações.

Comentários