Epis

Veja como aumentar a eficácia dos protetores auditivos

A utilização de protetores auditivos tornou-se algo bastante comum em determinados espaços de trabalho. Afinal, o risco de exposição a níveis elevados de decibéis nesses lugares é muito grande. Mas, apesar desse cuidado, um questionamento ainda fica na cabeça de muita gente. Por que, mesmo com o uso de protetores, ainda acontecem perdas auditivas? A resposta é simples: esse problema não ocorre apenas por causa da exposição no trabalho, mas também por exposições ao ruído nos momentos de lazer, por doenças patológicas, pelo uso de medicamentos ou até pelo envelhecimento.

A má proteção também é um fator importante a ser considerado. Os protetores auditivos mal colocados acabam não protegendo o trabalhador e sua audição fica prejudicada. Listamos abaixo cinco dicas para melhorar a eficácia da proteção:

  1. Vedação: Todos os protetores auditivos têm a obrigação de vedar. Se ele não estiver vedando, não está protegendo. O protetor de inserção veda o canal auditivo. Já o tipo concha, desempenha a sua função na lateral da cabeça, ao redor das orelhas. A anatomia e a colocação correta são fatores importantes a serem considerados. O modelo, o tamanho e o formato do protetor deve ser adequado para cada usuário.
  2. Compatibilidade com outros equipamentos: A atenuação, principalmente nos protetores tipo concha, podem sofrer interferência de outros equipamentos como bonés, óculos e toucas. É preciso evitar ou diminuir ao máximo essa interferência.
  3. Conscientização: Um funcionário que tem consciência dos riscos e dos males à saúde que a proteção inadequada causa, se protege melhor. É importante fazer treinamentos frequentes sobre como os trabalhadores devem utilizar, cuidar e manter os protetores auditivos.
  4. Conforto: O melhor tipo de protetor auditivo é aquele que se adapta ao funcionário e às suas atividades, gera menos desconforto e tem um menor risco de ter o seu uso omitido. É interessante que o próprio trabalhador possa escolher o protetor que ele sinta mais conforto e proteção para realizar as suas tarefas.
  5. Comunicação: Muitas vezes, a dificuldade para comunicar-se com outros colegas, ouvir o rádio e o celular devido ao ambiente barulhento, faz com que muitos trabalhadores prefiram não utilizar os protetores auditivos. É importante ressaltar que há protetores que, além de proteger a audição, se conectam a alguns dispositivos móveis permitindo assim que os funcionários possam se comunicar sem abandonar a proteção.

Não há um protetor auditivo que seja melhor ou pior, mas aquele que é utilizado de maneira certa durante todo o tempo de exposição ao ruído e que se adequa à pessoa.

Pensando nisso, a 3M criou o E-A-Rfit, que é um sistema que, através de um teste rápido e objetivo, obtém o Nível de Atenuação Pessoal que um protetor auditivo 3M proporciona para cada trabalhador. Ele é portátil e tem um sistema composto por uma caixa de som e microfones.

Por: Miriam Franquini, Coordenadora de Produtos – EPIs Corporativo Dimensional

Comentários